Por favor, alimente meus peixes clicando sobre a tela:

Que tal?

;

23 setembro 2009

Estou Cheio Do Quê ?


“E não vos embriagueis com vinho, no qual há devassidão, mas enchei-vos do Espírito,”

Ef 5.18


É fator de muita importância analisar o modo verbal pelo qual o apóstolo Paulo escreveu esta parte b do versículo 18. O modo usado é o imperativo. Ele é o modo das ordens, exortações, rogos, permissão, norma ou mandamento, e semelhantes. Portanto, o apóstolo não está suplicando, dando uma sugestão ou muito menos recomendando aos crentes de Éfeso para que fossem cheios do Espírito Santo. O apóstolo não está oferecendo uma opção de vida para os crentes de Éfeso. Não, ele está exortando, ou seja, é um mandamento.
Quando Paulo está ordenando que os crentes sejam cheios do Espírito Santo, ele está querendo dizer que os crentes devem ser controlados pelo Espírito. “É evidente que Paulo aqui está ordenando que nos submetamos ao domínio do Espírito Santo, de forma tão completa que todas as áreas da nossa existência fiquem debaixo do Seu domínio, e que o fruto do Espírito – encha nossa existência, como um vaso que está enchido até em cima.”.
Note que o apóstolo faz uma analogia aqui; quando ele diz: "E não vos embriagueis com o vinho, no qual há dissolução, mas enchei-vos do Espírito". O que o apóstolo está dizendo? Em certo sentido, o que o apóstolo está expondo é: "não fiquem sob a influência do vinho; fiquem sob a influência do Espírito Santo". É exatamente o que significa. Ser cheio significa estar sob influência ou controlados.
A ordem de ser cheio é contrastada diretamente com a outra ordem de não se embriagar. “O álcool em excesso conduz a um comportamento incontrolado e irracional, que transforma o bêbado num animal”; a plenitude do Espírito, por sua vez, leva a um comportamento moral controlado e racional, que transforma o cristão na imagem de Cristo. Portanto, os resultados de estar sob a influência de emanações alcoólicas, por um lado, e do Espírito Santo de Deus, por outro são total e completamente diferentes. Um nos transforma em “animais”, o outro em “Cristo”.
No estado de embriaguez a pessoa perdeu todo o domínio próprio, ao passo que, quanto mais estivermos debaixo do controle do Espírito, mais domínio próprio nós teremos.
Nestes termos, plenitude do Espírito Santo é a influência que o Espírito exerce na vida dos crentes de maneira que essa influência tome posse de toda a mente da pessoa, fazendo assim, com que em todas as áreas da vida estejam controladas pelo Espírito.


(Extraído parcialmente do Estudo – “Plenitude do Espírito Santo”)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

Usage Rights

DesignBlog BloggerTheme comes under a Creative Commons License.This template is free of charge to create a personal blog.You can make changes to the templates to suit your needs.But You must keep the footer links Intact.